As rosas

As rosas

As rosas partiram meu coração,
mas eu ainda continuo calada.
Seus espinhos atravessam minha carne,
enchendo minhas veias com uma beleza
que me faz deixar de respirar.
Seu vermelho se mistura com o sangue
que corre do meu corpo me deixando cada
vez mais a cada segundo.
Minhas pernas tremem, meu coração dói,
eu nunca mais colherei rosas no jardim,
não mais com o mesmo amor.
Mas… Mesmo que eu morra essa noite,
eu retornarei, e quando eu colher novamente
rosas no jardim, não deixarei que seus
espinhos de devastem como da ultima vez.
Espero que não haja outras rosas,
que não haja mais jardim,
espero apenas poder sangrar até
que o ultimo espinho tenha entrado
em meu corpo se perdendo em minha alma,
marcando-a para sempre,
espero sangrar eternamente,
contanto que eu ao menos possa estar em meu jardim.

Marcela Souza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s