Floresta interna

Floresta interna

Dentre as arvores calmas o vento me sopra,
Pela grama entrecortada pelas raízes meus olhos passeiam,
A luz que vem de longe já não me é desconhecida,
Olhe… Preparando-se para tornar-se adormecida,
Meus passos se seguem sem motivo compassados,
Cada passo um compasso, cada compasso, um pensamento,
Meus pensamentos, uma alegria e uma dor,
Pensamento de amor, passos de dor,
Minha floresta interna que é habitada e desabitada,
Que é confusa e organizada,
Que a passos lentos cresceu e floresceu,
Que encantou-se por si só para assim ser ela mesma,
Verde, amarelada, ao chão, ao céu,
Encantada.

Marcela Souza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s