La Luna

Serei assim, pela eternidade e seus fins,
pelos corredores obscuros de minha mente insana,
ou caminhando ao vale cantando aos pássaros esquecidos,
seguindo a frente como foi-me ensinado pelas artes de uma cigana,
entretanto recupero aquilo que deixei para trás,
assim como deixo para trás o que não recuperou-me,
e assim crio quadros e vitrais de histórias passadas,
entre minhas cobradas estórias não vividas,
que hoje assombram-me mais, pois estão de partida,
e assim sempre serei, pois assim como a deusa Lua brilha fria,
Luna nunca brilhará como sua deusa e rainha.

Marcela S.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s